29 de maio de 2014

Colóquio: Plano Bullying - Como apagar o bullying da escola

Decorreu hoje com enorme sucesso, em duas sessões na Sala E4, o Colóquio: Plano Bullying - Como apagar o bullying da escola com o Psicólogo Dr Luís Fernandes como se pode constatar.





28 de maio de 2014

Lisboa em festa - Junho 2014



Lisboa prepara-se para as festas. Preparem-se vocês também.
Atravessem o rio e participem. 
Aqui está toda a informação.



Colóquio: Plano Bullying - Como apagar o bullying da escola

Vai realizar-se amanhã, dia 29 de maio, às 10:15h e às 11:15h na Sala E4 o Colóquio: Plano Bullying - Como apagar o bullying da escola com a presença do Psicólogo Dr. Luís Fernandes que na última década tem coordenado e supervisionado vários projetos na área do bullying e da violência na escola em todo o país.


14 de maio de 2014

Dia Internacional dos Museus / Noite dos Museus



 Passe um fim de semana diferente: participe nas atividades propostas pelos museus perto de si.
Este ano as comemorações são subordinadas ao tema,
  Museus: coleções criam conexões.


Mais informações aqui

9 de maio de 2014

Era uma vez um país...


Era uma vez um país…
Cinzento, calado, assustado…
Descontente, dormente…
Acorrentado durante mais de 40 anos à ditadura a que Salazar chamara Estado Novo e que, mais tarde, Marcelo Caetano designou por Primavera Marcelista.
Os portugueses sonhavam com um país onde todos pudessem viver felizes, com liberdade para…
… frequentar a escola;
… ler o que se quisesse (e não o que a censura escolhia);
… expressar uma opinião (sem recear ser preso pela PIDE, a polícia política que vigiava e castigava todos os que se atreviam a falar mal do governo);
… escolher os governantes (sem ter que aceitar o governo escolhido por eleições manipuladas pelo regime);
…dizer NÃO a uma guerra colonial que levava para África os jovens, obrigados a cumprir o serviço militar
E um dia o sonho deixou de ser só um sonho. Os militares disseram BASTA! Cansados da guerra e da falta de liberdade, criaram o Movimento das Forças Armadas (MFA). O major Otelo Saraiva de Carvalho fez o plano militar e, na madrugada de 25 de Abril de 1974, a operação "Fim-regime" tomou conta dos pontos mais importantes da cidade de Lisboa- o aeroporto, a rádio e a televisão.

Para os militares saberem o momento exato para avançar, foram definidas duas músicas, as "senhas" da revolução: a primeira foi "E Depois do Adeus", de Paulo de Carvalho, a segunda "Grândola, Vila Morena", de Zeca Afonso, que ficou, para sempre, ligada ao 25 de Abril.

As forças do MFA, lideradas pelo capitão Salgueiro Maia, cercaram e tomaram o quartel do Carmo, onde se refugiara Marcelo Caetano. A ditadura chegara ao fim!

A notícia espalhou-se pelo país… a população recebeu-a com alegria e saiu à rua para abraçar a democracia. Uma florista, que ia a passar com ramos de cravos na mão, começou a oferecê-los aos soldados… o cravo passou assim a ser o símbolo da liberdade.

Os responsáveis pela ditadura foram afastados, os presos políticos libertados e a democracia instaurada
E porque…

…este foi um momento que não podemos esquecer…
…é a democracia que queremos manter;

Prestemos, hoje, 40 anos depois, a nossa homenagem aos Capitães de Abril e à Revolução dos Cravos.

Comemorações do 40º Aniversário da Revolução de 25 de abril de 1974 na ESAG

Decorreram de 23 de abril a 2 de maio as comemorações do 40º aniversário do 25 de abril na ESAG. Fizeram parte destas Comemorações exposições de trabalhos de alunos, projeção de imagens sobre o 25 de abril na Biblioteca, uma exposição de jornais, livros e outros documentos da época na Biblioteca, músicas da resistência, alunos vestidos à época e a construção de um mural sobre o 25 de abril – Mural da Liberdade - onde a comunidade escolar pode escrever os seus pensamentos sobre a efeméride que se comemora O 25 de Abri para mim é ….. 
No dia 28 de abril teve lugar um Colóquio 40 Anos a Construir Abril e que contou com a presença do Almirante Martins Guerreiro, Coronel José Fernando Santos Coelho e Luís Palma, Presidente da União das Freguesias do Laranjeiro - Feijó.