29 de outubro de 2008

a tua música: As Baleias

A pedido da Vanessa, do 11.ºD

«A música que escolhi é aquela que marca a minha infância, ou parte dela, a música que a minha mãe cantava para mim todas as noites e que tem, ainda hoje, um grande impacto em mim.»

As Baleias, de Roberto Carlos

postado por ana lima

9 comentários:

Vanessa disse...

Antes de mais obrigada pela ''minha musica'' =)

E depois, embora este não seja o video original é triste saber que nele está retratada uma realidade. E neste, como em tantos outros o homem tenta elevar-se sobre todas as criaturas não pensando que é a ele próprio que está a destruir. Um video chocante, duro, triste mas ...real.


Beijos.


Vanessa Florindo, nº16, 11ºD.

ana lima disse...

É verdade, Vanessa, tens razão, infelizmente..
Bjis,
ana lima

Anónimo disse...

claro que tinha que ser a minha irmã a pedir tal música, nao só porque é romantica mas também porque marcou a nossa infancia =).
em relaçao ao blogue acho que está bastante interessante, pois abrda variado assuntos. a stora podia era dar mais vida a parte estética do blogue. beijinhos

Carina Salvador 12ºD

ana lima disse...

mais vida à parte estética? Não te queres explicar melhor, Carina?

Além disso, a parte estética não depende de mim... eu sou uma mera 'colaboradora' :-))
bjis

Rui Duarte disse...

As Baleias, de Roberto Carlos, me fizeram lembrar da minha infância... Não tenho vergonha de admitir que ainda gosto de escutar música para criança... Por exemplo, estou sempre grudada nessa rádio:
http://cotonete.clix.pt/ouvir/radios/tematica.aspx?id=76

Anónimo disse...

sim, o blogue está com cores muito mortas, deveria dar mais cor =D

beijinhos

Carina

Anónimo disse...

:D

Anónimo disse...

a música é bonita!

Edna disse...

Depois de muitos anos que tive a oportunidade de ouvir uma caloura na televisão que pude entender esta letra (AS BALEIAS) e ficar realmente triste, mas esta é a pura verdade do que está acontecendo e ninguem faz nada para melhorar talvez os meus netos vão conhece-las só por artigos de velhos jornais.
Isso é infinitamente triste, precisamos acordar para esta catastrofe.